Um pouco sobre os últimos dias

Enquanto o sono não vem, ao som de Bon Jovi.

São exatamente 23:42h da noite e estou totalmente sem sono. O Jon Bon Jovi está cantando “Janie, Don't Take Your Love to Town”, e essa música tem um toque bastante nostálgico. Me lembro quando eu tive acesso ao meu primeiro computador por volta do ano 2009, e eu era terrivelmente viciado em jogar GTA Vice City naquele Windows XP. Sempre que apanhávamos um veículo, instantaneamente reproduzia essa música. 

Ainda estou incerto sobre o motivo da minha insônia, mas tenho alguns palpites; possivelmente eu esteja preocupado com as provas que se iniciam na semana que vem – o que coincide com o aniversário de 50 anos do meu pai. “Farei uma surpresa de aniversário para o seu pai e você não poderá faltar”, disse a esposa dele. Talvez o motivo também seja a reunião de trabalho que acontecerá amanhã. 

De qualquer forma, decidi vir aqui e falar um pouco sobre o que tenho feito nos últimos dias e no que estou trabalhando. Se você acompanha este blog, notou minha última publicação sobre curvar-se para a dor; isso porquê, recentemente decidi cuidar do meu físico, tanto por questão de estética, quanto por questão de saúde. Confesso que minha autoestima não está lá essas coisas, e posso dizer o mesmo da minha saúde. E é incrível ter a capacidade de resolver esses dois problemas com poucas horas diárias numa academia. 

Também tenho refletido sobre minha vida profissional. Está tudo muito confuso ainda nessa nova fase como monitor de sala de aula. Honestamente, nunca me imaginei ensinando alguma coisa para uma turma inteira um dia. Tenho analisado a possibilidade de engajar como professor após o fim do estágio de monitor. “Você pode formar turmas e ensinar linguagens de programação”, sugeriu um amigo professor. “De fato é verdade”, respondi. Tenho aprendido muita coisa útil na faculdade que podem ser aplicadas em sala de aula para um futuro grupo de alunos. Mas sou sensível ao fato de que no momento tenho mais a aprender do que a ensinar.

E por falar em aprender, não posso deixar de mencionar o meu retorno com as traduções do I'll Be Honest. Uma vez ouvi que a melhor forma de aprender, é ensinando - e, obviamente, isso quer dizer que a melhor forma de você aprender alguma coisa, é praticando. Tendo isso em vista, e considerando a minha fé cristã, decidi retornar com os trabalhos voluntários para este ministério. Se você não conhece, o I'll Be Honest é um ministério online criado pela Grace Community Church, San Antonio, no Texas. O site é dedicado a publicações de pregações de Tim Conway, Paul Washer, Steven Lawson, e outros pregadores bíblicos, bem como a publicação de artigos e áudios voltados à fé reformada. Mas o que isso tem a ver com aprender? Bom, curiosamente tenho aprendido muito de inglês nessas traduções voluntárias. Depois de muitos meses, enviei ontem um e-mail para o James Jennings, fundador do I'll Be Honest informando meu retorno. "Fico feliz em tê-lo de volta a equipe", respondeu ele. Se você quiser acompanhar meu trabalho, acesse: illbehonest.com/portuguese.

Bom, talvez eu atualize este post depois, ou talvez não. Fico feliz em sentir que o sono está vindo. Amanhã será um grande dia. 

Siga-me no Twitter: @ItsGabrielCruz