Das trevas à Luz

Nesta segunda-feira, às 6h da manhã levantei cedo para buscar ao Senhor em oração. Clamei com um espírito contrito e quebrantado, onde não me restaram mais lágrimas acumuladas. Roguei para que o Senhor me mostrasse a Sua glória, pois Sua Palavra é clara quando afirma que, ao buscarmos a Sua face, o acharemos. Na noite anterior havia concluído minha leitura de Efésios, e Deus me encheu de alegria em Suas verdades. Estava próximo ao horário do trabalho, então me contive em orar por apenas 1 hora.

Ao levantar-me de meus joelhos, recebi um vídeo do meu querido pai terreno dando o primeiro passo em direção ao meu Pai celestial. O Senhor o salvou. Deus o tirou das trevas para a Sua maravilhosa luz, fazendo-o reconhecer a sua natureza pecaminosa, e conhecendo que sem o Cristo ele nada pode fazer (ver João 15:5).

Novamente me pus de joelhos para agradecer ao Senhor. A conversão do meu pai foi, por muitos anos o principal motivo de minhas orações. Me afligia o fato de que eu conhecia as grandes verdades reveladas nas Escrituras, entretanto nunca havia evangelizado meu próprio pai. Confiei a minha causa ao Senhor e Ele foi providente quanto a isso.

Lembro-me de ver, quando criança, o meu pai caçoar dos cristãos, xingando-os com palavras torpes pelo simples fato de vê-los indo à igreja. Mas assim como Saulo, meu pai se deparou face a face com o Cordeiro de Deus e experimentou a Sua Graça irresistível.

E quem há de resistir quando o Senhor o chama? Certamente que ninguém.

Oh! Deus, Te louvo com todo meu ser,
Que esperança há para o homem que esteja
Longe dos teus caminhos eternos?

09 setembro 2019, noite.