Ao hoje, o nosso tudo

Caro leitor, dirijo-me neste momento diretamente a você: quais são os seus planos? Certamente que a maioria das pessoas possuem planos, sonhos ou objetivos em geral para alcançar. Muitos, de fato, os alcançam, mas a grande maioria acaba mudando de rota no meio do caminho. Uns mudam seus planos inesperadamente, pois descobrem que aqueles objetivos do passado foram formados por uma mente ainda imatura. Já outros, morrem. Sim, morrem. Gostaria de enfatizar um pouco sobre essa última afirmação.

Afinal, o que é tudo o que temos?

Eu, assim como todo jovem, possuo meus objetivos. Atualmente meu maior objetivo é concluir minha leitura anual da Bíblia, e mortificar alguns pecados que parecem nunca ir embora. A longo prazo, sonho em me casar assim que me formar na faculdade, ter minha própria casa e entrar para o seminário. Mas será que tudo isso depende de mim? Será que possuo os recursos necessários para conseguir realizar tudo isso? É possível eu ter uma certeza de que tudo isso acontecerá? Certamente você concordará comigo que não.

É comum para todo habitante desta terra possuir objetivos, mas a verdade é que não somos donos nem do nosso próprio respirar. Você acordar vivo hoje foi um grande milagre. Não estou tendencioso a parecer poeta — mas de fato, sim, um grande milagre. Será que você foi tão bom no dia anterior, que Deus o recompensou hoje com mais um dia de vida? Certo que não. Mas o fato de você esta vivo hoje, tem muito a ver com a misericórdia divina. Uma vez que você está de pé hoje, por que perder tempo planejando coisas que talvez jamais nunca venham a acontecer? Afinal, que garantia você possui de que estará vivo amanhã? Sua vida sequer depende de você mesmo. Aliás, você já agradeceu hoje pelo simples fato de ter pulmões funcionando? Você notou a dádiva que recebeu mais uma vez, em ter olhos saudáveis para apreciar a criação de Deus? Uma paisagem, talvez? Ou pessoas que você ama sorrindo? Que grande privilégio você recebeu hoje, em ter em sua cabeça tímpanos capazes de ouvir os sons dos pássaros ou o barulho da chuva.

Essas coisas vem perdendo sua beleza com o tempo, pois estamos ocupados demais valorizando coisas que não importam. Imagine por um momento que te restam poucos minutos de vida. Você usará esse tempo para estar com a sua família, talvez fará coisas que nunca teve coragem de fazer. Coisas que realmente sejam significantes. Você valorizará a vida, pois a estará perdendo. E não é assim que fazemos? Temos um péssimo hábito de valorizar após a perda.

Ao hoje, o nosso tudo

Talvez para você tudo isso soe como uma grande bobagem, mas aconselho que vá a um cemitério hoje, ou a algum hospital de emergência próximo a você. Lá, você aprenderá a não menosprezar a dor alheia. Você notará que um dia, quem sabe, essa dor poderá doer em você também.

24 horas, eis aqui a sua herança e tudo o que você possui — coisa que para alguns, enquanto você lê, não é mais possível. Como você está usando este tempo tão curto concedido a você hoje? Talvez você esteja descansado, afinal, você pode fazer tudo amanhã. Mas aquele velho clichê não deixa de ser verdade: viva cada minuto, como se fosse o último. Um dia ele realmente será.

O único modo válido de se viver

Deus. Essa é a maneira mais inteligente de aproveitar suas poucas horas. Estando em comunhão com o Senhor da sua vida. Buscando a Ele e aprendendo mais Dele. Sendo grato pelo simples fato Dele ter coberto você com Sua misericórdia, permitindo que você viva mais um pouco. Preencha sua mente com a Bíblia, você verá que este livro é de fato seu manual de instruções para viver com sabedoria neste mundo. Ame o seu Criador e o seu Salvador.



06 junho 2020, noite